Desafio

Você a participar. Quer saber do que se trata, leia tudo.

Vamos falar de frase provocativa, emblemática ou instigadora. Algumas se abrem em múltiplos significados, outras expressam a exatidão cirúrgica de uma ideia ou trazem duplo entendimento.

Cito três inicialmente, dentre tantas preferidas: “ser ou não”, “viver não é preciso”, “encheu”. Antes do final, outras surgirão.

“Ser ou não ser” é o início de um profundo discurso filosófico, talvez o mais lindo já produzido pela inteligência humana. Mas cuidado, se for apreciar em português o longo monólogo declamado nas intimidades do castelo pelo príncipe indeciso e perturbado, saiba: existem traduções e traduções. Se não acredita na variabilidade das traduções de um mesmo original, selecione duas ao acaso e compare.

“Viver não é preciso” tem a força indestrutível de uma sentença irremediável, independente da genialidade do poeta ou da bravura do lendário general.

“Encheu”. Aqui não tem jeito, terei de abrir o jogo um pouco mais. Todo mundo diz “encheu” toda hora, tanto para expressar o fim da paciência quanto para aludir a abundância da taça até a boca de bebida. Quem seria então o pai do “encheu” em pauta? Pois bem, vai a dica: o “encheu” em questão foi desferido por um presidente, grafado num telegrama endereçado a um conterrâneo inconveniente que o atacava impiedosamente, alegando que terras arenosas jamais reteriam água numa barragem em construção, que por fim transbordou.

Pense num alguém espartano com as palavras, imagine dizer tudo nesta frase: “encheu, viu?”

Séculos antes do despacho lacônico, alguém nos ensinou que não basta amar só quem amamos, mas arrisco um palpite de que havia certa dose de desforra no “encheu” endereçado ao cidadão que se intitulava engenheiro para dar aura de ciência na argumentação de que seria impossível aprisionar aquelas águas. Mesmo um cristão praticante, adepto dos benefícios do perdão e partidário do amor incondicional àqueles que nos maltratam, carrega no fundo da alma a semente do desagravo, o doce paladar do revide. Então concluo especulando, haveria de existir algo mais além de água represada no “encheu” do presidente.

Instigado por um concurso, sem pretensão alguma, criei minha própria frase. No rigor nem frase é. Trata-se de uma história, as famosas histórias de seis palavras tão ao gosto daquele que um dia escreveu “por quem os sinos dobram”. Então minha gente, também tenho uma frase, melhor, uma mini história para chamar de minha: “debaixo encaro sempre tudo por cima”. Não repare, é preciso começar por baixo para atingir o topo, ou quem sabe deste jeito nunca chegue lá no alto, afrontando tudo assim de qualquer jeito.

Cuidado, muito atalho alonga a caminhada.

Agora vem sua parte, coisa mínima: compartilhe sua frase preferida. Se preferir, mostre conhecimento, identifique os autores, elenque significados de ideias bonitas. O importante é participar, não há o que perder. Errar é possível, acertar não tem preço.

Conheça Profunda Identidade

Saiba Mais

Fonte da Imagem

https://pt.wikipedia.org/wiki/Lago_Parano%C3%A1

 

Related posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *