Estava Decidido

A trabalhar na empresa, então cheguei perguntando:

– É aqui que faz a ficha?

–Você tem datilografia?

– Faça o curso.

Não era qualquer empresa. Estamos tratando de uma mega organização gigante, um conglomerado de alcance nacional.

Segue a história.

Meses depois, avanço apreensivo pelos corredores sem fim, procurando a sala de teste. Vira para cá, vira para lá, encontro o ambiente cheio. Na frente de cada candidato, máquina de escrever sobre a mesa.

Uma cadeira sobrando bem na frente: esta vaga é minha.

À esquerda, colado ao tampo da mesa, recados do fundador, dentre eles, como atender bem todo cliente. Não apenas quem chia e esbraveja, mas principalmente aqueles tímidos que não se manifestam diante do mau atendente, apenas desaparecem silenciosamente para nunca mais voltar.

À direita, uma folha tamanho ofício, em branco. Na parede, o aviso discreto: antes de agir estude bem o cenário, não se deixe guiar por terceiros.

Outros tempos.

Pessoas se gabavam, competindo:

– Dou 150 toques por minuto.

– Já cheguei a 180.

O boato corria solto:

– Dizem que abaixo de 130, o sujeito está fora.

Vai ser difícil, nunca passei dos míseros 90.

De repente ouvi um rec, rec da alavanca tracionando o papel na máquina. Ponderei: devo fazer o mesmo? Enquanto remoía o dilema, mais rec, rec na retaguarda. Sigo esta gente ou confio no próprio instinto? Nisto ouvi também tec, tec, de alguém escrevendo, e logo foi aquele alvoroço de rec, rec, tec, tec. E agora? Acompanho a manada ou sigo fiel aos conselhos do futuro chefe? Ao que parece, o dono prefere gente prudente e zelosa à rebeldes e atiradas. Outros tempos, já disse.

Enfim chegou o instrutor, imbuído de autoridade, silenciando a galera na base da cara feia. Econômico, decretou:

– Põe o papel na máquina, alinhamento padrão!

Explicou o necessário:

– Quando eu disser já, copiem o segundo parágrafo do texto da sua esquerda, em seguida, coloque seu nome completo.

– Já!

Não mais se distinguia os tec, tec, teclas nervosas martelavam com toda a força, num trovão continuado.

Depois, o cidadão foi de um em um recolhendo a tarefa, por sorte de trás para a frente. Por fim parou ali na frente, e como se louvasse a minha lentidão, aguardou passivamente meus últimos tec, tec. Ouvi comentário pejorativo, ecoando do fundão:

– Este lesma está ferrado.

Com a prova de imprudências nas mãos, veio a explicação generosa, um pouco tarde para os afoitos:

– Se a sua lauda começar com “A segurança vem antes da pressa, o capricho antes da afobação”, você será avaliado, neste caso aguarde aí sentado. Senão está reprovado direto. Daqueles que serão avaliados, o critério é saber se de fato o capricho veio antes da afobação.

Conheça Profunda Identidade

Saiba Mais

Fonte da Imagem

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pal%C3%A1cio_Avenida

 

Related posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *