Documentado

O acaso conduziu Cidão à loja, a natureza impulsiva dele selou a sorte.

Um guincho descia manilhas na valeta cortando a via, travando o trânsito. Não quis ficar na fila, buscou atalhos por ruas marginais. Quando se viu perdido, parou pedir ajuda. Ao descer do carro, justificou a impaciência:

– Não posso esperar mais, preciso lucrar logo em Maringá.

No entanto, ao vislumbrar a mulher, em vez de perguntar, soltou o bordão surrado:

– A oportunidade bate à porta, sem aviso.

Ela sentiu-se elogiada, ele esqueceu da pressa.

Ao pôr o pé na estrada, comentou: se não for desta vez, nunca será. Mas não tem erro, estou focado no trabalho, jamais me curvarei de novo aos ardores da carne, nem cairei tão facilmente nas armadilhas do coração durante o expediente. Acredite, uma só meta martela a cabeça, encher os bolsos de dinheiro.

Uma vontade fulgurante explodiu dos dois lados, até aí nada de novo, fosse apenas flama incendiária, eu nem levaria adiante outro episódio aventuroso de Cidão. Hoje tem novidade, além de amores repentinos.

Pernoitou com a dama, saciando lhe por toda a noite.

Ainda entranhada no lençol, o novo dia raiando, ela quis detalhes do negócio:

– Dá mesmo tanto dinheiro assim?

– Isto que vai ser na comissão, fosse capital próprio, mais que triplicaria.

– E por que não arrisca?

– Tivesse a quantia, já seria patrão.

– E se alguém lhe financiasse?

– Impossível, quem confiaria dinheiro assim nas mãos de um estranho?

Ela sinalizou claramente quem seria tal pessoa desmiolada:

– Vamos ao banco.

Numa franqueza calculada, reagiu:

– Só aceito se a gente for até o cartório documentar a transação, para a sua garantia.

Aos ouvidos da amante, a proposta ressoou virtuosa e honesta, mas eu conheço bem a natureza dos malandros – ou será que emoções rasteiras interferem no meu juízo? De repente, vejo um Cidão articulando estratégia, mesmo ébrio de paixão. Se enveredando por sobre o umbral da ilegalidade, tateando atenuantes. Posso estar enganado, insisto, mas registrando compromisso em seu próprio nome, fugia de futura acusação de estelionato. Seria eu leviano em supor que Cidão jamais honrará o empréstimo? Homem de entusiasmo intempestivo, patrimônio ele não tem, sei que não tem. Talvez por isso, se apressou em assinar papeis.

Conheça também Profunda Identidade

Saiba Mais

Fonte da Imagem

https://pixabay.com/pt/photos/mulher-bela-menina-deitado-folhas-2003647/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *