"Não tenha pressa, avance devagar" - Florentino Fagundes

TEXTOS RECENTES

 

Aprendendo Rápido

O jovem parecia um radar na proa do barco, atento olhando tudo. Comentei: – Primeiro turista japonês que não fotografa tudo o que vê pela frente. Quem viajava comigo [...]
Leia MaisAprendendo Rápido

Angústias

Uma angustia aqui outra ali, quem não tem? Mas a razão deste conto não é explorar o desconsolo aleatório, destes que logo se dissipam em novas alegrias igualmente [...]
Leia MaisAngústias

Aposta

Toda aposta envolve risco, e naquelas que vale a pena aventurar a sorte, a chance de acertar é sempre mínima. Mas quando a fé aquece o coração, a gente confia no [...]
Leia MaisAposta

A Dúvida

Reclusão forçada pelo vírus contagioso, caminho na garagem, girando em torno do carro. Vamos esclarecer de uma vez. Não estou doente, nem deveria pôr na conta do [...]
Leia MaisA Dúvida

Vai ou Fica

Amiga boa de lábia, imagine, me convenceu a ajudá-la na mudança, algo que sempre odiei fazer. Chegou de mansinho: – Sei que detesta o que vou pedir, fique à vontade [...]
Leia MaisVai ou Fica

Morro do Ouro Parte IV O Passado, Alicerce do Futuro

Miudinho requisitou: – Topa sondar o Morro do Ouro? Sim, respondi, sem ter a mínima ideia da causa que aderia. Então ele perguntou: – Tem farolete? Acabei me [...]
Leia MaisMorro do Ouro Parte IV O Passado, Alicerce do Futuro

Morro do Ouro Parte III Imaginação Alcoviteira

Passei na frente confirmando o endereço e descrições: com certeza cheguei no lugar certo. O que faço agora? Indeciso, segui pedalando, considerando encerrar a busca. [...]
Leia MaisMorro do Ouro Parte III Imaginação Alcoviteira

Morro do Ouro Parte II Um Helicóptero no Caminho

Não se falava noutra coisa, nada mais repercutia. O único interesse do povo: a construção da fábrica, o andamento da ferrovia. – Em Apiaí sobra emprego, mas a [...]
Leia MaisMorro do Ouro Parte II Um Helicóptero no Caminho

Morro do Ouro Parte I Terreno Firme da História

Fica em Apiaí, interior de São Paulo, meu refúgio preferido. Ao chegar, ainda na rua feliz da vida, contemplo a mata verde revestindo a serra. Não é só a beleza do [...]
Leia MaisMorro do Ouro Parte I Terreno Firme da História

Comemorando

Comemorando Cinco anos como escritor de contos semanais, inicialmente no Facebook, depois também em meu blogue, a partir desta semana publicarei a série Morro do [...]
Leia MaisComemorando

Documentado

O acaso conduziu Cidão à loja, a natureza impulsiva dele selou a sorte. Um guincho descia manilhas na valeta cortando a via, travando o trânsito. Não quis ficar na [...]
Leia MaisDocumentado

O Furo

O Furo   No século passado, aprendi que a matéria expande, quando a temperatura aumenta. Tal fenômeno tinha nome: expansão térmica. O professor seguiu [...]
Leia MaisO Furo
 

SOBRE

 
 

Florentino Augusto Fagundes, filho e neto de paranaenses, nasceu em Ribeira SP em 7 de fevereiro de 1961.

Graduou-se em Matemática, cursou especialização em Engenharia da Qualidade, concluiu mestrado e doutorado em Engenharia Mecânica, tudo isso na Pontifícia Universidade Católica do Paraná PUCPR, onde é professor desde 1995. Além de trabalhar no comércio, foi bancário e empresário. Casado, é pai de um casal de filhos.

Assumiu oficialmente a condição de escritor, ao publicar a crônica “O Crânio” em sua página no Facebook no dia 2 de outubro de 2015.

 
Saiba Mais

INSTAGRAM

 
prêmios

PRÊMIOS

 

Prêmio Banestado
Categoria Contos, Banco do Estado do Paraná S.A., 1989.

 

Prêmio Paulo Leminski
Categoria Contos, Prefeitura Municipal de Toledo, 1991.

 

OBRAS PUBLICADAS

 
6838

Profunda Identidade

COMPRAR
5961

Segredos de Nair

COMPRAR
5963

A Primeira Pedra

COMPRAR

SIGA-ME NAS REDES SOCIAIS E FIQUE POR DENTRO DE NOVAS CRIAÇÕES

INSCREVA-SE E FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES