"Não tenha pressa, avance devagar" - Florentino Fagundes

TEXTOS RECENTES

 

Dupla

Dupla satisfação em tempos difíceis
Leia MaisDupla

Dormir, Santo Remédio

Fazer o que, plano perfeito não existe
Leia MaisDormir, Santo Remédio

A Morte da Política

Compartilho artigo meu publicado na Gazeta do Povo. Já adianto com isso a publicação da próxima quarta-feira, 22 de julho. Boa leitura [...]
Leia MaisA Morte da Política

A Misteriosa Mulher do Lago

Perseguido por dúvidas, decidi falar com ela
Leia MaisA Misteriosa Mulher do Lago

A Lista

Farejei no fim do estoque uma ardilosa oportunidade de escapar do cativeiro
Leia MaisA Lista

Vergílio

De que serve a riqueza que não circula? Vergílio, um ser completamente incomum
Leia MaisVergílio

Medos e Mentira

Medos de mentira são piores
Leia MaisMedos e Mentira

Aventura Radical

Enquanto ajeitava meu capuz, partilhou segredo. Senti o respirar quente dela se misturando ao meu.
Leia MaisAventura Radical

Cooper

Movido pela birra, julguei a frase boçal e provocativa. Pois só de raiva, ficarei calado como um túmulo
Leia MaisCooper

Agricultor

Cabeça oca que tenho, como aceitei casar? Adoro as mulheres, não consigo viver sozinho.
Leia MaisAgricultor

O Galo

Aí eu tive a ideia, vou manipular o galinheiro
Leia MaisO Galo

Mão Limpa

Fiquei remoendo a solidão da minha dúvida: o que tenho afinal nas mãos, uma batata quente das grandes ou arcabouço de um trote bem bolado?
Leia MaisMão Limpa
 

SOBRE

 
 

Florentino Augusto Fagundes, filho e neto de paranaenses, nasceu em Ribeira SP em 7 de fevereiro de 1961.

Graduou-se em Matemática, cursou especialização em Engenharia da Qualidade, concluiu mestrado e doutorado em Engenharia Mecânica, tudo isso na Pontifícia Universidade Católica do Paraná PUCPR, onde é professor desde 1995. Além de trabalhar no comércio, foi bancário e empresário. Casado, é pai de um casal de filhos.

Assumiu oficialmente a condição de escritor, ao publicar a crônica “O Crânio” em sua página no Facebook no dia 2 de outubro de 2015.

 
Saiba Mais

INSTAGRAM

 
prêmios

PRÊMIOS

 

Prêmio Banestado
Categoria Contos, Banco do Estado do Paraná S.A., 1989.

 

Prêmio Paulo Leminski
Categoria Contos, Prefeitura Municipal de Toledo, 1991.

 

OBRAS PUBLICADAS

 
6838

Profunda Identidade

COMPRAR
5961

Segredos de Nair

COMPRAR
5963

A Primeira Pedra

COMPRAR

SIGA-ME NAS REDES SOCIAIS E FIQUE POR DENTRO DE NOVAS CRIAÇÕES

INSCREVA-SE E FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES